voltar

Discriminação de género é persistente na agricultura

2018-10-18


Na semana em que se comemora o Dia Internacional da Mulher Rural, um estudo realizado em 17 países, incluindo Portugal e Espanha, pela empresa Corteva Agriscienceconclui que as mulheres veem progressos, mas muito lentos, no reconhecimento do seu trabalho na agricultura. Além das diferenças salariais, menos de 50% sente-se valorizada, ouvida ou capacitada para tomar decisões.

 

Envolvendo para cima de 4 mil inquiridas em países desenvolvidos e em países em desenvolvimento nos cinco continentes, o inquérito revela que a discriminação de género é transversal, persistente e coloca obstáculos à capacidade produtiva das mulheres que trabalham na agricultura.

 

A perceção da discriminação com base no género é particularmente alta na Península Ibérica, onde mais de três quartos das mulheres acreditam que não existem, no seu dia-a-dia, as mesmas oportunidades, nem as mesmas possibilidades de tomada de decisão sobre questões fundamentais, como a utilização dos recursos ou benefícios.

 

Saiba mais sobre este estudo nos documentos em ANEXO.

 

https://www.corteva.com/forms/privacy-request.html


Consulte aqui o documento.

voltar

Mais informações

Termos Legais e Utilização
Os nossos Anunciantes

Contactos e Suporte

Rua Álvaro de Campos, 18 - 1º Esqº

2675-225 Odivelas

T +351 219 383 430

agromanual@agromanual.pt

©2018 Agro Manual
Todos os direitos reservados